Arquivos do Blog

Nuas para atrair o mundo ao próprio fundo amoral!

Por Tico Reis

Arquivo de verão: texto publicado 15/08/11

Na onda das falsas moralidades, as pranchas são proibidas de entrar até na beira mar. De consolo a visão até do infinito; horizonte em que não se pode navegar. O paraíso está cada dia mais divino, mas na maré não se mergulha o passarinho; no buraco em que se faz o ninho, piranhas não comem nem pintinho mindinho.

Em verdade, está tudo um poema em verso de versos pelos avessos poéticos. Subjetivo? Não mais que a casa do caralho! Parece que as proprietárias dos imóveis de luxo só querem fazer publicidade enganosa. Resultado: uma crise social de pintos abandonados e desagasalhados. – Só passando frio…

Mas a contradição é tão devastadora que as pombas sem propaganda são as que mais querem um marketing pessoal em seus domínios. O MST (Movimento das Sem Tora) tem devastado arvoredos de forma silenciosa.- Não fazem barulho, mas realizam um baita estrago até nas clareiras.

O que dizer desses tempos revirados? Seria uma era de espelho por espelho meu em existe mina mais gostosa do que eu? O narcisismo da mulherada (e até dos caras também) está no reflexo de suas imagens. – Se bobear o bicho se pega; caso se olhar o bicho se come.

Liberalmente, o século das falsas morais veio para entrar gostoso na própria moral. Com as conquistas constantes das mulheres, a humildade passa a ser cada dia mais uma virtude para poucas. Preocupam-se mais com a própria aparência do que com o mundo afora. – O próprio umbigo é o meio do próprio fim…

Ademais, envolvidas por interesses plenamente pessoais, expõe suas inverdades como forma de atrair os olhos do mundo inteiro (tanto de homens quanto de mulheres) para o próprio olho mágico de falsas verdades. Em suma, querem se dar bem por meios escusos, mas sendo consideradas santinhas do pau oco. – Tipo: estou nua, mas não sou puta!

Sinceramente, não tenho nada contra os vestidos curtíssimos. Inclusive, acho-os bem sensuais e atraentes. Porém, sou contra o comportamento incompatível com a imagem (ou prostituta hipocrisia). Não é porque se veste sem nada que deve ser considerada puta. O problema está na vontade de ser o centro do mundo com olhares esnobes de superioridade…

Nota do Tico: para toda a regra existem muitas exceções. De qualquer maneira, uma boa porcentagem está precisando usar as requintadas sandálias da humildade.    

Na casa dos leões foram as gatas que rugiram!

Por Tico Reis

Em meio a um centro velho e bem iluminado, chegamos a um antigo casarão próximo aos templos da Justiça. No entanto, não foi uma situação justa que encontramos na entrada despretensiosa (sem glamour) daquela casa noturna em lugar atípico. Mais uma vez os senhores da noite nos passaram a famosa cantada da furada na culatra. E para piorar, o atendimento da recepção foi literalmente uma foda desgostosa. – Só gozaram na cara!

Ainda assim, em meio àquele charme antigo sem muito luxo, subimos ao piso superior onde ficava realmente a estrutura da casa. Apesar de possuir uma decoração bem colonial em vários ambientes, o requinte era uma questão notória para onde quer que se olhasse. – Simplesmente magnífico!

Mas nada mais atraente do que o famoso terraço com vista para a maior e mais glamurosa avenida da cidade de São Paulo. De fato, uma linda visão então diferenciada dentro do universo das baladas paulistanas. Os únicos problemas foram o frio e, claro, a fumacinha dos viciados em chupeta de tabaco – acho até que senti um cheirinho de rosca narcótica queimando…

Na parte mais moderna da casa, uma pista chamada 3D, o que vimos tão bem em três dimensões foram as lindas meninas e mulheres. Eram Deliciosas, Desejosas e, por isso, Despretensiosas. Como sempre, nas dimensões acima dos homens mortais, proporcionaram a eles 3D de muita realidade (desatenção, desprezo e conseqüente desilusão). – Nas baladas ou roubadas, o mundo é mesmo das “mulheradas” (ou enrabadas, bucetadas, defloradas).

De qualquer forma, a noite foi muito proveitosa. Em meio àquelas batidas musicais fortes e cansativas, pudemos apreciar lindos visuais humanos e naturais. E como não poderia deixar de ser, registramos tudo em muitas pernas para a satisfação de nossa arte. – Literalmente, a moda agora é depilar a menina do caralho (elas estão quase nuas).

Assim, nessa balada de graciosas nulas e quase nuas para dar foras em otários, vivemos intensamente até mesmo as falsas moralidades que invadem gulosamente os recantos das beatinhas do Diabo. Mesmo assim, foi bom pra miado… Viva às gatas!

Este slideshow necessita de JavaScript.

A verdade sobre o desejo dos homens por sexo anal

Por Tico Reis

Com todo o respeito que tenho por minha amiga Grazi Meroé, venho hoje, em sexologia, contrariar quase todos as afirmações feitas por ela na semana passada (para ler o post dela, clique aqui). Porquanto descabidas, devem ser literalmente enfiadas naquele lugar…

Segundo estudos concretos com homens, o desejo pelo sexo anal não tem relação direta com uma possível dominação. Até porque, no sexo, tanto homens quanto mulheres podem exercer o domínio durante os diversos momentos do ato. – Aliás, o que é algo natural e plenamente recomendável.

Na verdade, os homens gostam de sexo anal por dois motivos bem simples. O primeiro diz respeito à formação fisiológica do ânus. Realmente, a musculatura anal possui cavidades bem mais estreitas que a vaginal. Dessa maneira, há mais pressão na penetração. Quanto ao segundo, esse é meramente psicológico (nada mais do que o tesão deles por penetrar a bunda feminina tão atraente em beleza e sensualidade).

Nessa razão óbvia, os homens desejam penetrar o ânus feminino por uma questão bem física. Por lógica, quanto menor for o buraco maior será a pressão na cabeça do caralho. E quanto mais compressão no pau, melhor a sensibilidade do bilau (sinônimo de prazer).  

Com relação às fantasias da mente masculina, uma mulher de costas gera um tesão imensurável na cabeça deles. – De fato, nuas de frente ou verso elas são um verdadeiro arraso para meninos e marmanjos.

Então, diante disso, pode-se dizer que essa história de sexo anal por desejo de dominação é uma rabada totalmente furada; ou arrombada, se assim preferirem. Por verdade, é tudo uma questão fisiológica e psicológica por parte dos homens.

Ademais, dentro de uma relação sexual entre duas pessoas deve haver respeito, conversa e consentimento. Tudo tem de ser acordado entre os parceiros para que a relação sexual, com ou sem anal, não termine no fundo de uma cagada boçal.

O fato é que o sexo deve ser vivido intensamente e da forma como se bem desejar. E com vontade mútua, tudo pode ser plenamente válido. Basta querer e se entregar ao melhor do merecido prazer…

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 71 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: